Sindicalistas ligados à APLB, entidade representativa dos professores no estado, já estão planejando deflagrar uma greve nas redes estadual e municipal de ensino caso as aulas presenciais sejam retomadas durante a pandemia do novo coronavírus, antes da distribuição de uma vacina.

"A gente contesta isso, discorda, somos contra o retorno às aulas presenciais neste momento. A gente entende que o risco de contaminação ainda está alto, tem aumentado principalmente nesse momento que houve abertura de shoppings", afirmou a coordenadora da APLB, Elza Melo, em entrevista ao BNews.

Na última segunda-feira (3), em entrevista à imprensa, o governador Rui Costa afirmou que as atividades escolares presenciais serão retomadas com aulas aos sábados e sem recesso de fim de ano. Mas ainda não definiu uma data para o retorno.

Já o prefeito de Salvador, ACM Neto, afirmou que a retomada das aulas na capital baiana só deve ser autorizada quando a taxa de ocupação de leitos de UTI para covid-19 estiver abaixo de 65% e sem risco de aumento. Nesta quinta-feira (6), a Secretaria municipal de Saúde registrou 60% de taxa de ocupação.

Segundo Elza, está sendo formulada pela APLB uma carta para ser enviada ao governador e ao prefeito com as reinvidicações da classe.

Você pode gostar de

RECEBA Nossa NEWSLETTER

Anúncio